A música sacra nos documentos da Igreja Ver maior

A música sacra nos documentos da Igreja

Novo produto

Formato: 148X210 mm

224 páginas

ISBN 978-972-8286-78-1

Mais detalhes

7,00€ com IVA

Adicionar à Lista de desejos

Mais informação

Índice do livro »

APRESENTAÇÃO

A música é um elemento integrante da liturgia cristã. Tem o seu lugar e desempenho próprio na celebração da fé. A tradição musical da Igreja encerra o melhor testemunho do serviço que esta arte presta aos crentes, sobretudo nas celebrações da fé cristã. As grandes religiões servem-se da música para a realização do seu culto e a afirmação da sua fé.

Em tempos de mudanças rápidas e profundas, como são os nossos dias, é bom recordar o magistério da Igreja sobre o ministério da música na liturgia. A tradição da Igreja católica reserva à música um lugar importante no ritual litúrgico. Aliás, a Igreja nascente recebeu do judaísmo a tradição da música, que Jesus Cristo terá utilizado ao serviço da oração. Ao longo da sua história a Igreja utilizou a música ao serviço do culto e da evangelização, tendo por modelo a Jesus Cristo que não veio para ser servido como Senhor, mas para servir como Servo humilde. A música nunca foi senhora da liturgia, mas sempre prestou os seus serviços com nobreza e linguagem própria. Nunca foi considerada mero adorno, mas forma de expressão, sobretudo associada à palavra, para proclamar o objecto e o conteúdo da fé cristã. Tal como as palavras, os gestos, as atitudes corporais e o próprio silêncio, a música integrou o culto cristão, sobretudo mediante o canto. Em cada época e em cada lugar a Igreja recorreu à música com uma sensibilidade diferente, de acordo com o conceito de culto e de participação dos fiéis. Nem toda a música serve para a liturgia. A Igreja sabe escolher a música que melhor serve a glória de Deus e esta glória tem tudo a ver com o homem. A música litúrgica revela Deus ao homem e expressa o homem diante de Deus.

Os documentos recolhidos pelo Serviço Nacional de Música Sacra e apresentados nesta edição pelo Secretariado Nacional de Liturgia pretendem constituir um manual de doutrina da Igreja católica sobre a música sacra e litúrgica. Alguns documentos podem parecer antiquados, porque anteriores ao II Concílio do Vaticano, mas na realidade são alicerces que, sem serem vistos e apreciados, seguram o edifício e dão consistência sólida às expressões artísticas do tesouro musical da Igreja. Os cristãos não podem dar-se à vaidade das modas e dos seus retornos cíclicos. A música sacra e litúrgica que a Igreja consagra ao culto divino constituem um património espiritual da humanidade e uma expressão de verdade objectiva ao serviço da fé cristã. Estas qualidades ou virtudes da música orante não se conseguem por geração espontânea, mas são dons do Espírito Santo que inspira os compositores e os actores a proclamarem a glória de Deus.

O Encontro Nacional de Pastoral Litúrgica, que se realiza há mais de três décadas, dedica especial programação às questões da música, mas fazia-se sentir a falta de um livro que recolhesse os documentos principais do magistério da Igreja sobre a música sacra e litúrgica. Eis a obra.

Com este contributo saudamos as escolas diocesanas de música litúrgica pelo seu empenho no ensino das técnicas musicais e das orientações da Igreja em matéria litúrgica. Saudamos também o Curso de Música para Organistas e Directores de Coro, que em boa hora foi instituído em Portugal e tão bons alunos tem formado para o ministério litúrgico. Estas escolas são a garantia da ortodoxia da música litúrgica e um sinal de fidelidade à Igreja num esforço ecuménico de renovação e de progresso.

Desejamos a todos os interessados neste assunto, mormente os ministros da música no canto, na direcção coral e na execução instrumental, uma boa utilização deste manual eclesiástico e litúrgico.

Fátima, 13 de Maio de 2006
António Maria Bessa Taipa

Avaliações

Sem avaliações neste momento.

Escrever uma avaliação

A música sacra nos documentos da Igreja

A música sacra nos documentos da Igreja

Formato: 148X210 mm

224 páginas

ISBN 978-972-8286-78-1